Bem-Estar

A importância do sono de qualidade para a sua vida. Confira aqui

Acordar e ter que enfrentar o dia com a sensação de não ter descansado o suficiente é só um dos motivos pelo qual você deve levar a sério a importância do sono de qualidade.

Dormir profundamente após um dia de longas atividades e acordar renovado vai além da função de revigorar o dia seguinte.

Enquanto você dorme, o seu organismo realiza funções essenciais ao seu bom funcionamento. A secreção e liberação de hormônios, a consolidação da memória, o fortalecimento do sistema imunológico, dentre outras. Portanto, o sono assume diversos benefícios essenciais para o organismo.

Dormir menos que o recomendado ou acordar diversas vezes durante a noite em decorrência de distúrbios prejudica a saúde. Acompanhe o artigo e entenda a importância do sono.

Mas o que ocorre quando não temos um sono de qualidade?

A falta de tempo de descanso ou de um sono de qualidade atinge principalmente os jovens e adultos e é resultado de um cotidiano corrido e do excesso de tarefas habituais, que passam a ser priorizadas e nos atrapalham em como dormir melhor.

As pesquisas indicam que a quantidade ideal de horas de sono é uma característica individual. A maioria das pessoas sente-se satisfeita após cerca de 7 a 8 horas de sono, porém o que define se a pessoa dormiu bem é o estado em que ela se encontra no dia seguinte.

A maioria dos casos de dificuldade de dormir caracteriza-se pelo aumento da latência do sono. Ou seja, aumento do tempo que o indivíduo demora para iniciar o sono. Outros pacientes queixam-se da qualidade de seu sono. Pois mesmo dormindo uma quantidade de horas considerada satisfatória, eles têm a sensação de que o sono não foi reparador.

Quando a pessoa está passando por período de noites mal dormidas ou privação de sono assume consequências que vão desde complicações cardiovasculares até o estresse e ansiedade, e isso ocorre, pois o sistema nervoso simpático, associado à adrenalina e ao estresse, fica mais ativo que o parassimpático, que promove o relaxamento. Além do estresse, a pessoa passa a ter constantes dores de cabeça, sente cansaço e fica sonolenta durante o dia.

O efeito da falta de sono em um ataque cardíaco não é imediato. É por isso que a importância do sono deve ser discutida e apresentada a você.

Por que dormimos?

O sono é uma das áreas mais jovens da ciência e é um comportamento difícil de explicar. Antigamente, acreditava-se que o cérebro se desligasse totalmente durante à noite, com o único objetivo de descansar. Hoje, os cientistas falam que é mais que isso, dormimos para:

–  Economizar energia: durante o sono você consome menos energia, pois seu corpo está estático;

–  Fazer manutenção do corpo: suas funções vitais e os processos reparadores são executados enquanto você dorme. Sem isso, provavelmente você morreria;

–   Consolidar a memória: não dormir ou dormir mal incita o aparecimento de doenças neurológicas gravíssimas.

Entenda o ciclo do sono

importância do sono é um assunto tão sério, que você deve entender todos sobre os ciclos do sono.

O ciclo do sono possui vários estágios e cada um desses estágios possui sua importância fisiológica. Pode variar de fases mais leves, nas quais o sono é menos denso, até fases mais profundas. Sendo essas últimas as que mais influenciam na melhora da qualidade da noite dormida.

Cada fase realiza uma atividade fundamental para o organismo e dura de 90 a 110 minutos, repetindo-se de 4 a 5 vezes por noite. Alguns estágios estão diretamente ligados à memória, concentração, aprendizado e, até mesmo, ao crescimento e nível de estresse. Outros mantêm o seu corpo saudável, restaurando tecidos e fortalecendo o sistema imunitário.

Geralmente, pessoas que enfrentam problemas de insônia não conseguem passar das fases mais leves. Já as pessoas com má qualidade de sono raramente completam todos os estágios do ciclo.

Toda vez que alguém acorda durante a noite, interrompe as fases do sono e acaba voltando à etapa inicial. Esse fator, consequentemente, interfere em alguns processos que ocorreriam nos últimos estágios.

O que dizer, então, sobre o famoso cochilo após o almoço?

A soneca da tarde também faz bem, algo bastante comum para crianças e adolescentes. Quando feito regularmente, não há problema e dará à pessoa, a sensação de estar renovada ao acordar. Porém, quando o cochilo é esporádico, pode atrapalhar o descanso durante a noite.

O ideal é cochilar no máximo 20 minutos e nunca dormir por uma ou duas horas, o que pode afetar o sono noturno: o cérebro produz uma série de hormônios importantes para o organismo à noite.

Segundo afirma um estudo publicado no Endocrine Society’s Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism (JCEM), um breve cochilo pode ajudar a aliviar o estresse e fortalecer o sistema imunológico das pessoas que dormiram apenas duas horas na noite anterior.

A importância do sono e os distúrbios que afetam sua qualidade

São vários fatores que afetam a qualidade do sono. No entanto, os distúrbios do sono são os mais comuns e muitas das vezes não são identificados e tratados corretamente.

A insônia, por exemplo, se caracteriza pela dificuldade em iniciar o sono, ou por acordar durante a noite com dificuldade para voltar a dormir e é um dos principais problemas que compromete todas as atividades de vida diária, familiares, sociais e até acadêmicas ou profissionais, estando ao lado da apneia, distúrbio em que a respiração pára e volta diversas vezes.

A dificuldade para dormir também pode ser um sintoma ou efeito colateral de outro problema, como insônias por causas internas, como doenças emocionais (depressão e ansiedade), neurológicas (Alzheimer e Parkinson) ou mesmo sistêmicas (artrite, asma, tireóide, dor de cabeça crônica, hiperatividade cerebral e menopausa).

Outros problemas que atrapalham o sono

Outros distúrbios menos comuns, mas que influenciam na qualidade do sono são: o bruxismo – quando ocorre o ranger e apertar com força excessiva dos dentes -, o sonambulismo – ato de se levantar e caminhar durante o sono -, a narcolepsia – distúrbio crônico do sono que causa sonolência diurna em excesso – e a síndrome das pernas inquietas – condição caracterizada por um desejo quase irresistível de mover as pernas à noite. Os tratamentos para esses distúrbios são variados e precisam de um acompanhamento médico.

Além disso, existem fatores externos que podem causar a dificuldade para dormir. Alterações de turnos de trabalho, poluição sonora, uso de alguns medicamentos e atividades excitantes antes de dormir, por exemplo. Por isso, é fundamental realizar a higiene do sono – técnicas de práticas comportamentais e ambientais para promover a qualidade do seu sono. Manter o quarto sem iluminação e evitar mexer no celular ou assistir televisão, por exemplo, contribuem para o sono de qualidade.

Também, é muito importante entender que não basta dormir muitas horas, e sim ter uma qualidade de sono, que seja reparador e a pessoa acorde descansada e recuperada do cansaço do dia anterior. Há pessoas que precisam de mais horas de sono que outras.

Viu só a importância do sono? Se você tem enfrentado dificuldades para dormir ou se sente cansado durante o dia, procure um médico especialista para te orientar e ajudar a garantir um sono de qualidade.

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar
Pular para a barra de ferramentas