Saúde

Ainda bebe refrigerante? Descubra por que não consumi-los

Quando bate aquela vontade de tomar um refrigerante, eis que surge a dúvida: diet, light ou zero? A resposta é: nenhum dos três! E você com certeza sabe o porquê.

Não há quem nunca tenha escutado falar que o refrigerante, independentemente da sua versão ou marca, faz muito mal à saúde.

Isso porque a bebida possuir alto índice de acidulantes, conservantes, açúcares, gás, sódio, e entre outras substâncias prejudiciais a saúde… mas esses não são nem de longe os únicos motivos para que você elimine o líquido da sua rotina.

O refrigerante não tem qualquer valor nutricional e, ainda, favorece a retenção de líquidos, leva ao aumento de peso, altera a pressão e provoca inúmeros problemas e doenças no organismo.

Acompanhe nosso conteúdo e veja 10 motivos para você evitar o consumo de refrigerante, não apenas como parte de uma dieta, mas, principalmente, como qualidade de vida.

Risco de infarto

O consumo de refrigerantes, devido ao seu alto índice de açúcares, sódio e cafeína na composição, aumenta a taxa de glicose e gordura no sangue e pode levar a um aumento gradual da pressão arterial, oferecendo riscos reais e significativos de doenças cardíacas, como o infarto.

A situação é mais grave em relação às bebidas originais com açúcar. Porém, as versões dietética e light também apresentam o problema.

E lembre-se: esses não acontecem somente em pessoas mais velhas, não tem em si como determinante o fator idade. Você precisa cuidar da sua alimentação, do seu corpo e da sua saúde para evitar quaisquer doenças graves ou disfunções sérias como essa.

Problemas digestivos

Além das substâncias químicas potencialmente cancerígenas do refrigerante, como o aspartame, a bebida contém um pH muito ácido, semelhante ao do vinagre, e grande quantidade de gás carbônico.

Com isso, aumenta a fermentação no organismo, formando gases intestinais, desconfortos, dor abdominal, cólicas e flatulência.

Também acumula cálcio nos rins, que seria utilizado nos ossos para facilitar a digestão e equilibrar o pH. Dessa forma, aumenta o risco de formação de pedras nos rins e sobrecarrega o órgão.

Gastrite

O gás carbônico usado na produção dos refrigerantes ataca as células gástricas, causa inflamação na parede do estômago, provocando azia, refluxo e problemas de absorção.

Em grande quantidade no organismo, as substâncias levam à gastrite, que pode evoluir para úlceras estomacais, exigindo ainda mais cuidados.

Enfraquecimento dos ossos

O consumo de refrigerantes é, além de tudo, uma grande ameaça à estrutura óssea. Isso porque algumas dessas bebidas possuem ácido fosfórico aromatizante, que impede o corpo de absorver o cálcio necessário para fortalecer os ossos, causa aumento da acidez no sangue e dificulta o trabalho do estômago para produzir ácido gástrico.

Dessa forma, pessoas que bebem refrigerantes regularmente podem desenvolver problemas como osteoporose, pois os ossos ficam muito mais frágeis.

Cárie

Os níveis elevados de açúcar e o excesso de ácido presentes nos refrigerantes prejudicam a saúde dos dentes, já que corroem o esmalte, penetrando no dente e depositando uma pigmentação escura, e ainda servem de alimento das bactérias causadoras da cárie.

Além disso, há risco de desenvolvimento de doenças da gengiva, como a gengivite. Esses problemas, se não forem tratados, podem afetar o nervo e a raiz do dente. Ou seja, além de causar dor, leva à perda do dente.

Assim, se você deseja ter um sorriso bonito, evite o consumo constante de refrigerantes.

Câncer

Os refrigerantes possuem diversas substâncias artificiais e químicas, como conservantes, acidulantes e aditivos, usadas para dar cor, sabor e conservar a bebida por mais tempo. Além disso, essas bebidas contêm um pH muito ácido.

Tudo isso é tóxico para as células do organismo, especialmente ao sistema renal. Atingindo, também, órgãos como a boca, o esôfago ou o intestino. E provocando a aparição de células cancerígenas e o desenvolvimento de tumores em longo prazo quando consumidas em excesso.

Diabetes

Apenas uma lata de refrigerante contém cerca de 10 colheres de sopa de sacarose, o que aumenta bastante os níveis de açúcar no sangue e diminuem a ação da insulina no organismo. Assim, se ingeridos regularmente, os refrigerantes podem levar ao desenvolvimento de diabetes.

Sobrepeso

Os refrigerantes possuem alto índice glicêmico, que elevam rapidamente o índice de açúcar no sangue. Quando não for convertido em energia durante os processos metabólicos, é acumulado em forma de gordura no organismo.

E o gás presente nas bebidas é responsável por dilatar o estômago, prejudicando a absorção de nutrientes dos alimentos e gerando uma falsa sensação de saciedade, fazendo com que pessoa volte a sentir fome em intervalo curto de tempo, extrapolando na quantidade de ingestão de alimentos.

Infertilidade

Os refrigerantes são acondicionados em latas de alumínio, revestidas com uma resina chamada bisfenol (BPA), substância associada a problemas hormonais que levam à infertilidade, ao desenvolvimento de câncer e à obesidade.

Já alguns cientistas acreditam que o alto teor de açúcar e cafeína podem ser uma das causas para a infertilidade, pois interferem diretamente na função dos órgãos reprodutivos e contribuem para uma menor produção de sêmen.

Insônia

A cafeína é um conhecido estimulante e é responsável pela perda de sono. Nos refrigerantes, existe uma grande concentração da substância, o que provoca insônia e estresse.

Por fim, você deve ter entendido o recado, não é mesmo? Procure evitar o máximo possível o consumo de refrigerantes. Todas as versões possuem várias substâncias que podem fazer mal, não possuem nenhum benefício para a saúde além do prazer momentâneo de consumo.

Mudar um hábito alimentar não é uma tarefa fácil, mas é possível fazer algumas substituições no cardápio de forma gradativa. Sempre que possível, troque o refrigerante por bebidas ricas em vitaminas, fibras e sais minerais, como suco natural, água mineral ou água de coco.

O ideal é adotar uma alimentação balanceada, associada à prática de exercícios físicos para prevenir doenças, manter o peso equilibrado e ter uma vida saudável. Caso precise de ajuda, procure um nutrólogo para avaliar sua saúde, orientar sobre os melhores alimentos e definir um plano de reeducação alimentar.

Gostou do post? Compartilhe com seus amigos nas suas redes sociais e deixe um comentário abaixo contando o que achou!

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar
Pular para a barra de ferramentas