Bem-Estar

Desequilíbrio hormonal: como identificar?

Como já mencionei em outro post, levar uma vida saudável nada mais é do que ter a compreensão de que o seu corpo é um organismo complexo que exige equilíbrio e cuidado constante, e dentro disso, é preciso citar a função dos hormônios. Eles são extremamente importantes e, quando há um desequilíbrio hormonal, toda a sua saúde pode ser afetada.

O que mais preocupa é que é muito comum ouvir algumas pessoas próximas contarem sobre alguma dificuldade para emagrecer, apesar da prática regular de atividades físicas e da alimentação controlada. Ou então se deparar com dificuldades para dormir e até sofrer dos males da ansiedade.

Todos esses e mais outros diversos problemas muito comuns podem ter sua causa relacionada a algum desequilíbrio hormonal. Para isso, é importante saber identificar quando esse problema pode ser a origem. Quer saber como reconhecer os sintomas? Então, vamos lá! Iremos apresentar a você os principais sinais das disfunções hormonais.

Dificuldades para dormir

Para as mulheres, a queda acentuada da progesterona no organismo pode ser a causa. Esse hormônio possui propriedades relaxantes e, portanto, sua baixa produção leva à inquietação e ocasiona em dificuldade para dormir.

Em alguns casos, o mais adequado é a suplementação desse hormônio, a qual deve ser definida por um médico especializado, de preferência em nutrologia.

Dores de cabeça frequentes e enxaqueca

Mais comum em mulheres do que em homens, sentir dores de cabeça frequentemente ou até mesmo ter enxaquecas também está relacionada ao desequilíbrio hormonal.

Uma das causas mais comuns que leva a esse desequilíbrio é o uso de anticoncepcionais. Quando os níveis de estrogênio são elevados ou há a ausência de progesterona – principalmente quando não há a ovulação -, o cérebro passa a ser estimulado de forma desequilibrada, levando-o à hiperestimulação e resultando nas crises de enxaquecas.

Para identificar a causa da sua enxaqueca, é preciso monitorá-la. Experimente fazer uma espécie de diário de bordo da sua dor, anotando quando ela ocorre e observando semelhanças às ocorrências.

Fome constante

Quando ocorre a privação do sono, o organismo apresenta altos níveis de grelina – hormônio responsável pela sensação de fome – e baixos níveis da leptina – substância responsável por regular o apetite.

Logo, ao dormir de forma insuficiente, o organismo tende a sofrer um desequilíbrio hormonal e causar a fome constante. Fique muito atenta e respeite o descanso do seu corpo, buscando uma noite de sono adequada e de qualidade para o seu organismo.

Problemas de memória

Segundo estudos, os altos níveis de cortisol, hormônio do estresse, têm a capacidade de diminuir a nossa saúde física, mental e emocional.

Uma enzima consequente do estresse, por exemplo, é capaz de atacar moléculas no hipocampo responsáveis por regular as sinapses cerebrais. Essa alteração das sinapses, leva à redução de conexões neurais na região e prejudicam a memória.

Fadiga constante

Sentir-se exausta todos os dias pode ser sinal de um desequilíbrio hormonal conhecido como hipotireoidismo.

Relacionado à tireóide, trata-se da falta do hormônio produzido por essa glândula e que controla todo o metabolismo do corpo. Quando seus níveis estão baixos – hipotireoidismo -, todos os sistemas desaceleram, levando a pessoa à exaustão.

Neste caso, é preciso consultar um endocrinologista para verificar sua tireóide e saber a melhor forma para tratar a patologia.

Humor instável

As alterações hormonais também influenciam no humor e suas mudanças. O estresse, a depressão e ansiedade, e outras emoções negativas podem ser acentuadas em situações de desequilíbrio hormonal.

Isso ocorre, pois nosso humor é feito, basicamente, por uma combinação de hormônios. O cortisol, como contamos, é o responsável pelo estresse e pela ansiedade. Enquanto a ocitocina, quando sofre queda em seus níveis, leva à depressão.

Má digestão e demais problemas no sistema digestivo

Os problemas digestivos podem ser provocados pelo desequilíbrio de, principalmente, três hormônios: colecistocinina, secretina, gastrina. Eles são responsáveis por sintetizar a gordura e a proteína, além de auxiliar a digestão e proporcionar a sensação de saciedade.

Outro problema é comum: se você apresenta excesso de gases e má digestão, pode estar relacionado aos seus hábitos alimentares, que prejudicam o funcionamento do organismo. Consumir produtos industrializados ou comer de forma exagerada, por exemplo, pode ocasionar em desequilíbrio dos hormônios da fome e na progesterona e testosterona.

Excesso de espinhas ou acne

A presença elevada de alguns hormônio, como a testosterona, pode provocar oleosidade no tecido cutâneo, provocando as espinhas e a acne. Esse não é um fato exclusivamente masculino, podem acometer as mulheres também.

O segredo é reparar se houve um aumento da acne, investir na limpeza de pele, corrigir a alimentação e procurar por ajuda profissional para reduzir ainda mais a diferenciação hormonal.

Perda da libido

Outro sinal de desequilíbrio hormonal é a perda da libido. Isso acontece devido aos baixos índices de estrogênio e testosterona presente no corpo.

Como mencionado, a escassez de testosterona atrapalha o processo de emagrecimento, podendo, inclusive ocasionar no ganho de peso. Além disso, pode influenciar na alteração da voz e na perda de pelo em todas as partes do corpo.

Já os níveis de estrogênio, interferem no ganho ou na perda de massa muscular e, consequentemente, no desempenho da atividade física que realiza.

No caso específico das mulheres, esses hormônios ainda causam ressecamento vaginal, sintoma bem comum de quando ela entra no período de menopausa. Esse sinal pode provocar inflamações, infecções e afetar a vida sexual.

Fique atenta às mudanças do seu organismo, tanto fisicamente quanto mentalmente e espiritualmente. Tenha em mente que as disfunções estão ligadas, principalmente à fatores como:

  • Estresse;
  • Uso de pílulas anticoncepcionais;
  • Gravidez e lactação;
  • Falta de exercícios físicos;
  • Patologias como a Diabetes;
  • Problemas na tireoide;
  • Sono de má qualidade;
  • Menopausa.

Se você observar algum desses sinais ou perceber alguma irregularidade ou mal estar, procure um médico especializado em nutrologia. Ele irá te ajudar a identificar a irregularidade e irá te orientar ao tratamento mais adequado.

Gostou do artigo? Fique ligado em nossa newsletter para mais dicas, entre em contato conosco para agendar uma consulta ou deixe o seu comentário! Não se esqueça de compartilhar esse texto em suas redes sociais. 😉

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar
Pular para a barra de ferramentas