Alimentação

O glúten: saiba mais sobre este ingrediente, que se torna cada vez menos popular!

Não há quem não goste de uma massa bem macia: de fato, elas são tentadoras. Mas é necessário saber que o grande responsável pela elasticidade das massas é o Glúten.

Embora ele seja popular, a cada estudo, é comprovado com maior eficácia o quanto ele é nocivo à nossa saúde.

Tempo atrás, a consideração geral era que, ao retirar o glúten de nossa alimentação, o processo de emagrecimento seria favorecido. E desde sempre, os portadores da doença Celíaca (disfunção autoimune, permanente, capaz de afetar o intestino delgado) são orientados a evitá-lo, para ficar longe do mal estar causado pela doença.

Isso porque, quando ele chega ao intestino dos celíacos, ocorre um processo inflamatório capaz de destruir a estrutura do órgão (atingindo principalmente as vilosidades – saliências da parede do mesmo) e causar sintomas como diarréia, fraqueza, perda de peso e até mesmo anemia, devido à deficiência de absorção dos alimentos.

Mas, ao contrário do que se pensa de maneira popular, a eliminação do Glúten não deve ocorrer apenas na alimentação de quem possui a doença Celíaca ou deseja perder peso. Ele não tem um papel comprovado no fator emagrecimento e é capaz de gerar sintomas e processos inflamatórios em pessoas que possuem simples sensibilidade à substância.

Isso tudo sem falar que não estamos falando somente de ingestão de alimentos que contém o glúten nesse conteúdo.

Quer conhecer os malefícios do glúten e saber por que você deve ficar longe dele? Continue acompanhando este artigo.

E qual é o principal ponto de preocupação perante o consumo do glúten?

O Glúten e os carboidratos fazem mal ao cérebro em vários sentidos, e sua ingestão precisa ser analisada por todos. O consumo dessa molécula, afinal, é diretamente ligada até mesmo ao lado emocional. Há relatos de pessoas que o cortaram de sua rotina, e tiveram uma melhora substancial no humor e concentração. O rendimento diário dessas pessoas melhorou, e muito!

Porém, é difícil evitá-lo por alguns motivos, como a falta de hábito de leitura dos rótulos de alimentos e muitas vezes a distração e ilusão de que estamos consumindo alimentos saudáveis – quando na verdade estamos consumindo verdadeiras bombas para o nosso cérebro e para todo o organismo.

Isso sem falar que existem outros produtos nos quais podemos ter contato com esta molécula – ela não está presente apenas nos alimentos!

E onde pode ser encontrado o Glúten, em maior concentração?

É comum que em nossa alimentação tenhamos acesso aos mais diversos alimentos, tidos como benéficos à nossa saúde – porém, alguns podem ser extremamente prejudiciais e causar disfunções diversas e mal estar.

Recomenda-se ler atentamente os rótulos dos alimentos, devido à existência de produtos que contém esta molécula, e opções que não a possuem. Lembre-se que é importante saber que todos os alimentos comercializados são obrigados a inserir em seus rótulos se na composição do alimento há o Glúten.

Mas, existem alimentos específicos os quais podemos citar possuidores em potencial dessa substância. Estamos falando dos  derivados e fabricados com trigo, aveia, cevada, centeio e malte, como bolos, pães, biscoitos, macarrão, tortas, cerveja, whisky, pizzas, molhos, temperos.

O que podemos listar são nomenclaturas amplas, que podem se tornar mais específicas de acordo com aquilo o que estamos aptos a consumir. Portanto, é necessário sempre pesquisar sobre aquilo o que você deseja consumir em sua alimentação.

Mas o glúten está presente apenas nos alimentos?

Outro ponto que devemos levantar aqui (e que já foi brevemente abordado) é que o Glúten não está presente apenas em alimentos. Este é um engano comum, pois quando se trata de consumo de alguma substância é normal pensarmos na mesma apenas no sentido de ingestão.

O glúten pode ser encontrado também em produtos de higiene pessoal e cosméticos, como shampoos, condicionadores, máscaras para cílios, entre outros. Portanto, fique atento também à sensibilidade ao Glúten – ela não se trata da doença celíaca, e possui sintomas mais sutis, que podem se apresentar na pele e nas membranas mucosas, apresentando, por exemplo, úlceras na boca (também conhecidas como as aftas).

Assim como nos alimentos, para saber se os produtos cosméticos possuem glúten, basta analisar os rótulos. Às vezes, em letras bem pequenas, os componentes utilizados na fabricação, constam lá. Então, fique de olho!

Como cortar o glúten da sua alimentação?

Sabemos que, inicialmente, pode ser difícil tirar essa substância do seu cardápio. Mas, a partir do momento em que você cria o hábito de ler os rótulos, fica fácil. Existem marcas e receitas ótimas que excluem o glúten.

Você pode, por exemplo, pensar em todas as refeições que faz durante o dia e criar um plano para fugir dos alimentos com glúten. Esse hábito, também evita que você coma na rua e encontre poucas opções.

Durante os lanches, comece abandonando o consumo de pães. Neste caso, a tapioca pode ser um ótimo substituto. Durante o almoço, não consuma alimentos muito gordurosos, nem cremes ou molhos. Coma proteínas saudáveis, como peixes e carnes, e saladas. No jantar, evite os miojos, enlatados e produtos industrializados, a maioria deles contém glúten. Faça uma sopa de legumes, coma ovos, carnes e abuse das verduras e dos legumes frescos. Para as sobremesas, prefira as frutas ao invés de bolos e doces industrializados.

Procure fazer o seu próprio alimento e pesquise receitas sem glúten. Experimente cozinhá-las!

Lembre-se também que as bebidas alcoólicas, principalmente à base de trigo, cevada ou centeio. A cerveja, o whisky e o gin são ricos em glúten. Por isso, aí está mais um motivo para você não consumi-las.

Procure auxílio médico

Por fim, é necessário procurar auxílio médico para analisar a situação de sua saúde. Esta análise poderá dizer a necessidade de se inserir ou cortar alimentos e produtos nos quais haja o glúten. Dessa forma, é preciso evitar disfunções e desconfortos que podem ser causados por este consumo.

Não deixe de estar sempre em contato com o seu médico, e continue acompanhando nosso blog e nossas publicações nas redes sociais. Vamos voltar a falar do glúten!

Caso tenha restado alguma dúvida, deixe o seu comentário ou entre em contato direto com a nossa equipe. Estamos à sua disposição.

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar
Pular para a barra de ferramentas