Saúde

O que é compulsão alimentar: saiba tudo sobre o transtorno

Já encarou a comida como a maior fonte de conforto diante de dificuldades da vida e problemas? Tem o costume de comer muito para ficar bem, mas sempre acaba se sentindo culpado depois? Você pode ter um distúrbio e nem percebeu ainda! Sabe o que é compulsão alimentar?

As síndromes comportamentais relacionadas à alimentação são diferentes de comer demais aos finais de semana, em uma festa ou em comemorações específicas: a compulsão por comida se caracteriza por um distúrbio no cérebro, causado pela ingestão de uma grande quantidade de alimentos em um curto período de tempo, mesmo estando sem fome, seguida por sensação de descontrole e vergonha.

O excesso de privações, insatisfação com a aparência corporal, problemas emocionais (como frustração, estresse e depressão) são alguns dos gatilhos que podem desencadear o quadro de compulsão, e de transtorno alimentar.

Mas, afinal, o que é compulsão alimentar?

Trata-se de um comportamento muito comum, o qual pode ocorrer em pessoas de qualquer faixa etária, gênero ou etnia.

Informações sobre o transtorno alimentar compulsivo têm aumentado ao longo do tempo. Há diversas denominações, como comer compulsivo ou crises de voracidade alimentar. Todas relacionadas aos transtornos alimentares, como anorexia e obesidade.

A compulsão alimentar nada mais é do que um transtorno em que um indivíduo consome regularmente uma grande quantidade de comida de uma vez só, mesmo quando não tem fome. Também pode haver um sentimento de culpa por ter comido bem mais do que o necessário ou um sentimento de desconforto físico. Contudo, ao contrário de quem sofre de bulimia, quem come compulsivamente não purga depois de comer em excesso, nem pratica com frequência exercícios em demasia na tentativa de queimar calorias.

A maioria das pessoas já exagerou em alguma refeição, comeu doce ou algo calórico para compensar um dia estressante. Esses quadros esporádicos não são classificados como compulsão ou transtorno alimentar. Para isso, as refeições exageradas devem ser acompanhadas de arrependimento, culpa ou frustração; com frequência e ainda sem controle.

Geralmente, ocorre sem o conhecimento da família ou amigos, pois o paciente esconde devido ao sentimento de constrangimento. Também existem pacientes que demoram a ter consciência do problema e mantêm o quadro sem diagnóstico por bastante tempo.

Causas dos transtornos alimentares

O transtorno alimentar está relacionado com distúrbios químicos cerebrais, em que as percepções de fome e saciedade são alteradas. Suas causas são multifatoriais, mas determinar o agente causador ainda é bastante complexo.

Alguns exemplos:

–       Fatores genéticos;

–       Vulnerabilidades biológicas e fisiológicas, como sobrepeso ou obesidade;

–       Dieta restritiva ou realizada de forma errada;

–       Busca por conforto emocional ou transtorno de ansiedade;

–       Medo exagerado de ganhar peso;

–       Problemas de baixa estima ou insatisfação com a imagem corporal.

Sou um compulsivo alimentar?

Entendeu o que é compulsão alimentar, mas ficou na dúvida se sofre ou não com o distúrbio? Faça uma autoavaliação e atente-se para os sintomas:

  •     Costume de ingerir grandes quantidades de comida, mesmo quando não tem fome, até se sentir desconfortável, cheio e agoniado;
  •     Ter a estranha mania de esconder hábitos alimentares por vergonha ou comer, sozinho e em segredo, alimentos para episódios de voracidade ou descontrole;
  •     Continuar, constantemente, a comer enquanto houver comida disponível;
  •     Descontar situações em que sofre pressão, apresentar transtorno de ansiedade ou se sentir psicologicamente diminuído na comida;
  •     Expressar descontentamento com a aparência corporal, peso ou autoestima;
  •     Comer mais rápido do que o normal e continuar comendo mesmo quando já está saciado.

É importante lembrar que, para afirmar definitivamente se sofre ou não desse transtorno, é fundamental ir ao médico para que seja feito o diagnóstico preciso.

Como faço para mudar?

Como quem sofre do transtorno de compulsão alimentar aumenta seu peso com frequência ou se torna clinicamente obeso, acaba se tornando passível para contrair uma grande variedade de doenças. Por isso, é essencial que os compulsivos encontrem um tratamento eficaz, evitando que patologias apareçam.

Para eliminar esse hábito compulsivo de se alimentar, o paciente deve estar disposto a reequilibrar seu organismo, trabalhando mente e corpo, com a ajuda de um médico.

Esse profissional deve saber o que é compulsão alimentar para identificar as causas do transtorno e pontos, como: relação da alimentação com os sentimentos, ser capaz de dizer não à comida, melhorar a autoestima e os hábitos alimentares do paciente, incluindo o que você come ao longo do dia e quais os momentos em que come mais.

Mas como acontece com quase todas as doenças mentais, não há um exame específico para identificar o transtorno de ansiedade e nem mesmo a compulsão alimentar. Portanto, o diagnóstico é feito com base nos relatos do paciente, da sua família e informações relatadas sobre sua saúde mental e física.

A partir do equilíbrio, o organismo é capaz de funcionar perfeitamente, promovendo perda de peso, diminuição do cansaço, da ansiedade e do estresse, os quais são fatores capazes de desencadear ou potencializar essa desordem alimentar.

Com tratamento adequado para compulsão alimentar, os pacientes apresentam melhora significativa. Portanto, busque esse equilíbrio, procure ajuda médica e apoio dos familiares.

Prevenção dos transtornos alimentares

Entender o que são os problemas dos distúrbios alimentares e adotar bons hábitos alimentares são as principais formas de prevenir transtornos alimentares.

Além disso, recomenda-se:

  • Os pais devem ensinar os adolescentes a não se levar pelos padrões de beleza ou peso impostos pela sociedade;
  • Saber diferenciar a fome fisiológica da fome emocional, questionando se está realmente com fome para entender quando desconta algum sentimento no ato de comer;
  • Realizar atividades para reduzir o transtorno de ansiedade e o estresse, como técnicas de relaxamento, ioga, meditação, lazer, passeios, trabalhos manuais;
  • Não fazer restrições de alimentos ou dietas severas: aprenda a seguir uma reeducação alimentar de forma saudável e com acompanhamento médico;
  • Adotar hábitos saudáveis, como não comer em frente à televisão, não ter pressa ao fazer as refeições, mastigar muitas vezes, não pular refeições, comer pausadamente, fazer um plano semanal de alimentação;
  • Praticar atividades físicas com frequência para liberar serotonina, melhorar a composição corporal, evitar o efeito sanfona e ter disposição física e mental.

Restou alguma dúvida sobre o que é compulsão alimentar? Achou que se enquadra em algum dos critérios mencionados? Se você está lutando com esse problema, procure se informar sobre como viver com mais qualidade e bem-estar e busque um tratamento médico, de preferência um nutrólogo, que  saberá orientar sobre alimentação saudável e bons hábitos alimentares.

Quando se trata da sua saúde, não dá para esperar!

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar
Pular para a barra de ferramentas