Saúde

Qual a relação entre cansaço e alimentação?

Qual a relação entre cansaço e alimentação? O corpo humano precisa de energia para que todas as células possam trabalhar para o funcionamento adequado do organismo, certo? Mas de onde vem essa energia? Uma vez que não somos autossuficientes para produzirmos nossa própria energia, precisamos dos alimentos. Eles são essa fonte necessária de energia.

A relação entre cansaço e alimentação é um pouco mais complexa. A questão é que não basta apenas se alimentar, mas deve se alimentar bem, provendo ao corpo os nutrientes de que ele precisa. A má alimentação pode ocasionar doenças desde a desnutrição até a obesidade, promove deficiências nutricionais,  prejudica o funcionamento celular até gera falta de energia.

Portanto, caso não haja uma alimentação equilibrada, seu organismo também não ficará em equilíbrio e pode começar a apresentar dificuldade para realizar tarefas, cansaço, sono demasiado, estafa mental e falta de disposição física e outros indícios gerados pela deficiência de macronutrientes.

Esses sintomas nem sempre estão associados ao excesso de atividades. Quem não se queixou ou não ouviu alguém próximo reclamar de cansaço? Hábitos alimentares inadequados contribuem para esse quadro e atrapalham o rendimento das pessoas.

O recomendado para combatê-los é variar a dieta, buscando alimentos que tenham nutrientes que auxiliam na disposição física e mental.

Quais os alimentos indicados para evitar o cansaço?

O ideal é apostar em alimentos ricos em vitaminas, minerais e fibras, pois regulam o funcionamento de hormônios e ainda mantêm a boa saúde. Fazendo uma reeducação não só alimentar como de hábitos, por exemplo:

  • Comece adotando o costume de realizar as refeições respeitando a fome fisiológica, seguindo uma alimentação balanceada;
  • Faça refeições em horários predeterminados e em pequenas porções para não prejudicar a energia do corpo. Inclua frutas frescas (laranja, morango, acerola, mexerica e limão), que também são alimentos ricos em vitaminas para evitar o estresse e combater o desgaste do corpo e do cérebro;
  • Prefira alimentos com baixo teor de carboidratos, como carnes magras, e consuma verduras com a tonalidade verde-escuro, por exemplo, espinafre, couve, agrião, rúcula, escarola para produção de energia;
  •  Dê preferência a alimentos integrais, ricos em vitaminas, minerais e fibras;
  • Coma frutas ricas em vitamina C e que auxiliam a absorção de ferro, além de alimentos fonte de vitaminas B.

Cansaço e alimentação. Quais comidas devem ser evitadas?

Algumas vezes o corpo parece cansado e não temos ânimo para fazer nada. Acha que não tem motivo aparente? Isso pode ser resultado de doenças, como anemia, depressão, hipotireoidismo e diabetes.

Ou por causa da má alimentação, regrada a calorias e muitos alimentos que sobrecarregam o sistema digestivo e tiram a energia do organismo.

Os alimentos que causam fadiga são:

  • Processados: são aliados do cansaço, pois geram dificuldades de digestão e ainda são deficientes em nutrientes. Podem causar problemas de saúde sérios, desde intestinais a obesidade;
  • Gordurosos ou fritura: pizzas, salgadinhos, chocolates e sanduíches não trazem benefícios e ainda causam letargia e falta de energia;
  • Carboidratos: representados pelo pão, arroz, massas e biscoitos saciam a princípio. No entanto, depois de um tempo provocam sonolência e lentidão;
  • Açucarados: inicialmente causam um pico de energia, ao fazer o nível de glicose do sangue subir, dando uma sensação de bem-estar. Mas logo provoca o efeito contrário;
  • Álcool: prejudica os níveis de energia, provocando desidratação, dores de cabeça e problemas de concentração. No início, provoca sensação de euforia, mas no dia seguinte revelas sintomas ruins, conhecidos como ressaca;
  • Cafeína: é bebida estimulante que pode até ativar as funções do corpo. Mas gera hiperatividade e, em excesso, dá efeito contrário, pois causa insônia;
  • Refrigerante: a bebida não tem valor nutricional, ao contrário, possui alto índice de acidulantes, conservantes, sódio e açúcar, o que favorece a retenção de líquidos, o aumento de peso e a várias doenças gastrointestinais;
  • Evite refeições muito condimentadas ou com sal, além de reterem líquidos, são irritantes da mucosa do trato digestório.

A questão do ômega 3

Recomendações de fontes de energia

O processo de reeducação alimentar é individual, assim recomendações úteis para a alimentação de uma pessoa podem não ser tão interessantes para outra.

Para isso, você deve procurar um nutrólogo para avaliar seu quadro clínico, e apresentar as melhores soluções para o cansaço e alimentação. Ele irá identificar os distúrbios alimentares e problemas de saúde por meio de exames e técnicas inovadoras para propor uma dieta adequada. Além de levar em conta seu estilo de vida.

A principal questão que devemos aprender é que a reeducação alimentar não consiste em deixar de comer tudo o que gosta e passar a comer somente frutas, verduras, legumes e alimentos light. Muito pelo contrário, é aprender que você pode comer tudo, mas sem exageros e de forma equilibrada.

Além disso, existem outras recomendações para evitar o cansaço e prevenir incômodos causados pela ingestão dos alimentos que provocam fadiga:

–     Durma entre 7 e 8 horas por noite, sempre no mesmo horário, em ambiente calmo, livre de barulhos, com acessórios adequados para ter uma boa noite de sono;

–     Faça atividades físicas, mas evite praticá-las no período da noite, próximo ao horário de dormir. Ela pode servir como estimulante e atrapalhar o sono;

–     Busque distrações ou atividades que o relaxem e ajudem a reduzir os níveis de estresse. Passeios ao ar livre, trabalhos manuais e sessões de seriados são recomendados;

–     Recorra à Medicina Integrativa, em clínicas especializadas, uma prática focada na saúde do paciente, usando abordagens terapêuticas adequadas;

–     Beba bastante água! Ela é necessária para o bom funcionamento do nosso organismo, pois auxilia nos processos de digestão, absorção, excreção e ainda hidrata;

–     Não compense uma situação psicológica na hora de se alimentar, comendo por impulso ou ansiedade, tente controlar suas emoções (caso sofre desse mal, procure um médico para fazer o diagnóstico e indicar o melhor tratamento);

–     Tenha um peso saudável ou mantenha o resultado após o emagrecimento para evitar o efeito sanfona. O excesso de peso contribui para o aumento da pressão e outros problemas de saúde, incluindo diabetes e colesterol.

Nunca se esqueça dessa relação entre o cansaço e alimentação. Sabemos que não só o cansaço, mas muitas doenças podem ser evitadas com simples mudanças em nossos hábitos de vida. Que tal pensar em um processo de desintoxicação? Os resultados são eficazes e a saúde agradece.

Para garantir uma alimentação saudável, basta saber combinar os nutrientes, deixando a refeição atrativa e buscando ajuda médica. 

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar
Pular para a barra de ferramentas